REVITALIZAÇÃO DA PRAÇA MAUÁ: O MUSEU DE ARTE DO RIO – MAR E O MUSEU DO AMANHÃ

A Praça Mauá nos últimos 20 anos estava descaracterizada por obras viárias, desconectada do tecido urbano, num  processo  de abandono.

A área, localizada no Centro Histórico do Rio, passou por diferentes tipos de ocupação: comercialização de escravos, atividades fabris e portuárias permeadas por ocupação residencial operária.

A partir do projeto Porto Maravilha a área da Praça Mauá e seu entorno vem sofrendo transformações urbanas estruturais num processo de requalificação e revitalização urbana.

A substituição do elevado Perimetral que bloqueava a visão, na direção do Pier Mauá, resgatou a condição urbana do lugar: uma praça à beira da Baía de Guanabara com dois novos equipamentos culturais, o MAR ( Museu de Arte do Rio) e o MUSEU DO AMANHÃ.

O MAR, resultado da reutilização e integração de três construções já existentes na praça que estavam deterioradas e sem uso, compõe com a escala da praça e harmoniza-se com o grão de edificações do entorno. No último pavimento , um terraço praça coberto permite uma visualização do novo conjunto urbano . A lâmina sinuosa que configura a cobertura instala o sentido de um objeto único.

O MUSEU DO AMANHÃ implantado no Pier Mauá cria um edifício objeto em estrutura metálica, apoiado no conceito de uma embarcação que flutua.

Apesar da conceituação e de todo o apelo tecnológico que envolve o projeto do edifício, a sensação de quem visita o local é de uma interferência demasiada na plenitude da paisagem, tanto pela escala do edifício quanto pelo formalismo exagerado de sua linguagem arquitetônica.

As fotos permitem observar as diferenças de implantação dos dois equipamentos culturais.

MAR1visão da baia guanabara