O LEGADO DE LINA PRECISA SER RESGATADO

Lina Bo Bardi – arquiteta ítalo-brasileira – Chega ao Brasil no ano de 1946 momento de transformação e modernização da produção artística brasileira como consolidação dos ideais da Semana de Arte Moderna de 1922.

Mulher multifacetada atuou como ilustradora, cenógrafa, designer, escritora e artista visual.

Lina compreendeu com profundidade a cultura brasileira nas suas mais variadas expressões, em especial a arte popular, “disseminando um espírito moderno que transformou as formas de entender a arte e a arquitetura no Brasil.

Fonte: https://www.archdaily.com.br

Fotos: Pedro Kok

 

MASP – “ Todo o seu trabalho é carregado de um significado cívico – coletivo, ou seja, busca a comunicação e o uso pelo povo…”

Os cavaletes de concreto e vidro do MASP – um novo jeito de exibir a arte.

SESC Pompéia – Transformação de uma antiga fábrica de tambores em um complexo de lazer e cultura – ideia de preservar a fábrica para manter vivo um pedaço da história.

Teatro Oficina – a ideia central do projeto é permitir o contato mais próximo ao público
“aproximava a nova arquitetura ao contexto territorial, a rua parece invadir o espaço cênico.”