11ª BIENAL: O TRIÂNGULO ATLÂNTICO

A 11ª Bienal de Artes do Mercosul chega a Porto Alegre com o tema O Triângulo Atlântico, lançando um olhar sobre o triângulo que interliga os destinos da África, América e Europa há mais de 500 anos. Reunindo 70 artistas e coletivos de artistas, além de ações pontuais realizadas em comunidades remanescentes de quilombos localizados nas cidades de Porto Alegre e Pelotas, a mostra destaca a arte africana e afro-brasileira e o encontro das culturas indígena, europeia e africana.

Com curadoria do crítico alemão Alfons Hug e curadoria adjunta da artista Paula Borghi, a exposição acontece de 06 de abril a 03 de junho de 2018 nos espaços do Museu de Arte do Rio Grande do Sul, Memorial do Rio Grande do Sul, Santander Cultural, Praça da Alfândega e Igreja Nossa Senhora das Dores, com entrada franca.

Saiba mais em www.fundacaobienal.art.br

 

Anderson Fetter 2

Anderson Fetter 7

El Anatsui (Anuako, Gana, 1944), obra Ebb & Flow, 2018. Obra feita de alumínio e tampas de garrafa, fio de cobre e malha de ferro galvanizada. É coleção da galeria Jack Shainman, Nova York

ART PRISON

Como transformar uma antiga prisão, localizada em uma ilha de pescadores, em um museu de arte contemporânea ao ar livre? Este é o desafio proposto pelo Art Prison, concurso promovido pela Young Architects Competition na cidade de Favignana, Sicília – Itália, com o intuito de transformar a Fortaleza de Santa Caterina em um centro inspirador da arte contemporânea e cultura. As inscrições vão até o dia 11 de abril.

Mais informações: www.youngarchitectscompetitions.com

 

Art Prison_Favignana (313)

990_AP-04

Art Prison_Favignana (194)

Art Prison_Favignana (81)

EXPO REVESTIR 2018

Inovação e tendências na maior feira de revestimentos da América Latina. A Expo Revestir reuniu as principais marcas do setor, dos dias 13 a 16 de março, na cidade de São Paulo. Alguns dos destaques foram o efeito fosco e emborrachado dos novos acabamentos para cubas da Deca, nas cores verde folha, azul escuro, off white vanilla e rosa claro; texturas e relevos 3D, representados em diferentes linhas e marcas, como na Távola Decor Mix, da Portinari, simulando painéis ripados de madeira; e as formas orgânicas das cubas assinadas por Ruy Ohtake, da Roca, trazendo as inspiração da natureza, cada vez mais presente.

fonte: http://www.exporevestir.com.br/

 

foto 1

foto 2

foto 3

TCHÊ SUÍTES – MORADIA CONTAINER

Projeto inovador, inspirado na tendência mundial de moradias sustentáveis, o Tchê Suítes é um condomínio de containers marítimos voltado para estudantes. Localizado em Porto Alegre/RS, próximo à PUC e ao Campus do Vale da UFRGS, conta com 16 containers de 14m2 com banheiro privativo, cozinha, sala e quarto, além de áreas comuns de convivência, como piscina e lavanderia.

“8o% dos estudantes internacionais não terminam o curso que vêm fazer em Porto Alegre principalmente por causa dos alojamentos, ou acomodações inadequadas.” -diz a empresária Lígia Saldanha, idealizadora do projeto, inspirada em um condomínio estudantil de Amsterdã.

Os containers são adquiridos diretamente nos portos. O processo de revitalização é iniciado com a remoção da ferrugem, seguido pelo revestimento com manta térmica, deixando o ambiente pronto para a decoração final. As estruturas modulares podem ser colocadas uma em cima da outra, formando andares e ampliando a capacidade do empreendimento, com previsão de crescimento para 44 suítes até o próximo ano.

Fonte: https://www.tchesuites.com

 

foto1 foto2_montagem foto3 foto4 foto5

PROJETO COLABORATIVO DE ESCOLA RURAL CONCORRE AO PRÊMIO RIBA INTERNACIONAL PRIZE 2018

O projeto da escola Fazenda Canuanã, no Tocantins, desenvolvido pelo escritório de arquitetura Aleph Zero, em parceria com Marcelo Rosenbaum, está entre os 62 selecionados ao RIBA International Prize 2018. A competição bienal, promovida pelo Royal Institute of British Architects, busca eleger o edifício mais inspirador do mundo.

O único representante da América do Sul não chama atenção apenas pelo resultado final, mas por todo o seu processo de criação, envolvendo as próprias crianças na concepção dos espaços, além de uma profunda pesquisa de materiais resgatando as tradições da região. O projeto consistiu na construção de duas moradas para 540 alunos internos do complexo mantido pela Fundação Bradesco, em uma área de 25 mil m², com estrutura modular de madeira laminada colada.

“Os alunos vêm de culturas que, muitas vezes, não se reconhecem. Daí a importância de incluir valores indígenas e dos assentados num mesmo edifício. É uma metodologia de design essencial baseada na relação com as comunidades e nos saberes locais, e que pressupõe a cocriação com os futuros usuários ou beneficiários do projeto… Foi um trabalho colaborativo, de pensar como nós como profissionais podemos usar arquitetura como ferramenta de transformação social.” – destaca Marcelo.

Os projetos selecionados ao prêmio serão visitados durante o ano de 2018 e o grande vencedor será anunciado no mês de novembro.

 

marcelo-rosenbaum-projeta-escola-no-tocantins-com-ajuda-de-aluno-01

42605_20x30_170130-125d  marcelo-rosenbaum-projeta-escola-no-tocantins-com-ajuda-de-aluno-02

42605_20x30_170129-052d

marcelo-rosenbaum-projeta-escola-no-tocantins-com-ajuda-de-aluno-04

URBAN 21 EDIÇÃO 2017

“Reconhecer – o olhar urbano através do detalhe”

A equipe da FAUPUCRS venceu a terceira edição do concurso de desenho urbano promovido pela revista Projeto e pela empresa Alphaville. Importante destacar que esta premiação é o reconhecimento do trabalho de pesquisa que a faculdade de Arquitetura vem desenvolvendo sobre o tema da cidade.

O trabalho teve como foco o IV Distrito – bairro de origem industrial que hoje está em processo de abandono – respondendo com qualidade as questões de densificação do tecido urbano com respeito às pré-existências; da qualificação e conexão das áreas públicas; da inserção da Habitação de Interesse Social dentro da cidade e da diversificação de usos.

arq_90639

BIBLIOTECA DE TIANJIN, NA CHINA

Localizada no nordeste da China, a cidade de Tianjin Binhai encanta o mundo com a inauguração de sua biblioteca pública, com quase 34 mil metros quadrados e que pode abrigar um acervo de 1,2 milhão de livros.

Desenvolvida pelo escritório de arquitetura holandês MVRDV, em parceria com arquitetos locais do TUPDI, a obra foi construída em apenas três anos e estima receber cerca de dez mil visitantes (entre turistas e leitores) por dia.

O auditório central translúcido, em formato de esfera, foi o ponto de partida para a construção monumental que chama atenção não apenas pelo tamanho, mas também por suas linhas orgânicas, o branco puro e o inusitado desenho em forma de um olho gigante.

O edifício cria a sensação de ecoar as formas circulares, proporcionando ao visitante um efeito de ambiente fluido.  Uma das inovações do projeto é o fato de as estantes servirem também como banco e corredores de circulação aos visitantes. É possível então caminhar, apreciar, sentar-se e ler.

A biblioteca faz parte de um grande projeto urbano, desenvolvido pelo Instituto de Urbanismo e Design de Tianjin, que tem como grande objetivo criar na região um polo cultural de mais de 120 mil m ². Os demais prédios abrigarão escolas, centro de ensino de artes, centro de danças e um pavilhão de exposições.

 

22_websize_tianjin_library_ossip_13

biblioteca-na-china2_620

38b_websize_tianjin_library_ossip2

CONCEITO MÚLTIPLOS – NOVA CRIAÇÃO DE RENATA RUBIM

Linda a última criação da designer Renata Rubim: tapete em módulos que se compõem, que se articulam e se multiplicam em novos desenhos e padrões. A ideia do módulo componível traz a diversidade de tamanhos podendo se ajustar a diferentes ambientes, a múltiplas composições e ao conceito de criação coletiva, na medida em que os profissionais, a partir dos módulos básicos, têm a liberdade criativa para construir novos desenhos.

Portanto, são múltiplos que se adaptam e se transformam de acordo com a necessidade de cada pessoa, de cada situação, trazendo conceitos contemporâneos de diversidade e alegria a todos os espaços”. – Renata Rubim.

 

bohrerpernau_10

bohrerpernau_12

bohrerpernau_13

bohrerpernau_14

bohrerpernau_11

SESC 24 DE MAIO – SÃO PAULO

Inaugurado no centro de São Paulo, dia 19 de agosto, o Sesc 24 de Maio. Com 28 mil m² de área construída, distribuídos em 13 andares, a mais nova unidade da rede deve receber cerca de cinco mil pessoas por dia.

Projetado por Paulo Mendes da Rocha, em parceria com o escritório MMBB, a obra traz a ideia de ocupação ao tomar conta de um edifício que, nos anos 70, ficou famoso por abrigar a loja de departamento Mesbla. Os espaços internos foram transformados a partir da estrutura existente, criando uma nova estrutura central que suporta a piscina na cobertura do edifício.

“[A ocupação] É indispensável para a cidade – ninguém vai demolir tudo para construir do zero um empreendimento como esse”, explica o arquiteto.

As rampas de acesso aos 11 andares homenageiam as ladeiras da cidade. Já as enormes paredes de vidro, sustentadas por estruturas de ferro que formam um mosaico espacial, convidam à contemplação da arquitetura – da própria construção e dos edifícios vizinhos. As cadeiras, bancos e mesas de chapa metálica e linguagem modernista, assinados pelo arquiteto especialmente para o projeto, ganham tons de amarelo, azul e vermelho, prezando pelo conforto e pela praticidade.

A construção conta ainda com teatro, uma sala de exposição de 1.300 m², 12 mil títulos em sua biblioteca, 14 consultórios odontológicos, jardim, cafeteria, brinquedoteca, salas para oficina, academia, entre muitos outros espaços.

 

34453256782_b58d91477b_o

de6b295b73a6

paulo-mendes-da-rocha-assina-novo-sesc

sesc_24_de_maio_-_credito_matheus_jose_maria_-_6

sesc_24_de_maio_-_credito_matheus_jose_maria_-_10

REVITALIZAÇÃO DE ESPAÇOS ABANDONADOS – INTERVENÇÃO COM ARTE EM PARIS

A parceria entre a loja Pigale Basketball, o Ill-Studio e a Nike resultou na revitalização de uma quadra de basquete abandonada na cidade de Paris. A quadra, que ficava em um beco escuro, espremido entre dois edifícios residenciais, ganhou cores, luz e formas, e muitos usuários novos.

“Através desta nova quadra, desejamos explorar a relação entre esporte, arte e cultura”, afirma o time de criativos.

Esta já é a terceira reforma da quadra promovida pelo trio, cuja parceria iniciou em 2009. Em 2015 o espaço chamou a atenção com as cores primárias da coleção primavera-verão da Pigalle. Agora em 2017 as formas geométricas ganharam tons vibrantes do azul ao laranja, efeitos degradês e de perspectiva, painéis coloridos translúcidos e uma grade que permite que a quadra seja vista por quem caminha pela rua.

 

basket-court-pigalle-studio-architecture-public-leisure-paris-france-_dezeen_2364_col_13

basket-court-pigalle-studio-architecture-public-leisure-paris-france-_dezeen_2364_col_2

basket-court-pigalle-studio-architecture-public-leisure-paris-france-_dezeen_2364_col_7